15 de jan de 2016

Tudo o que é bom, um dia acaba!

Tudo o que é bom, um dia acaba!

Foi em 2011, também em um 15 de janeiro, que a primeira resenha do Mastigando em Salvador foi publicada. Portanto, hoje, o blog estaria completando 5 anos de atividades. Utilizamos o termo "estaria" porque já faz algum tempo que não publicamos novas resenhas.

E não voltaremos a publicar!

O Mastigando em Salvador foi um projeto que nasceu de forma totalmente despretensiosa. Poderia ter durado 5 semanas, 5 meses, mas acabou alcançando (quase) 5 anos, durante os quais (em especial nos 4 primeiros anos) nos dedicamos intensamente ao projeto. Aquilo que se iniciou como uma forma de registrar as nossas aventuras gastronômicas (que, durante muito tempo, foi a nossa principal atividade de lazer) se tornou quase que um vício. Neste período de tempo, não medimos esforços para trazer novidades. Em média, eram 2 a 3 postagens semanais, totalizando mais de 10 resenhas a cada mês, sempre com a preocupação de cobrir os mais diferentes estilos de Estabelecimentos e garantir a qualidade do conteúdo publicado. 

O resultado disso foi surpreendente para nós. O Mastigando em Salvador começou a tomar proporções bem maiores do que poderíamos ter imaginado. Em números aproximados, foram algo em torno de 450 Estabelecimentos resenhados, 50 leitores presenteados com prêmios oferecidos por parceiros, mais de 1,7 milhões de acessos ao nosso conteúdo, mais de 18 mil seguidores no Facebook e mais de 12 mil seguidores no Instagram, além da participação em publicações como Revista Veja Comer & Beber, Revista Muito, Revista Let's Go Bahia. Sem dúvida, o Mastigando em Salvador superou todas as nossas expectativas e projeções, especialmente porque não somos profissionais da área de gastronomia nem da área de publicidade e marketing.

Durante esta caminhada, conhecemos muitos Estabelecimentos, Pratos e principalmente pessoas que fizeram valer à pena todo o esforço. Por outro lado, alguns Estabelecimentos, alguns Pratos e (sobretudo) algumas pessoas tornaram a nossa atividade, no limite, desagradável. Assim como fomos indicados, elogiados e prestigiados, fomos também, incontáveis vezes, plagiados (idéias, textos e, especialmente, fotos), imitados (depois do Mastigando, surgiram inúmeros novos blogs e perfis nas redes sociais, relacionados à gastronomia, chamados de "xxxxxxxxx em Salvador"), sabotados e até ameaçados (por Estabelecimentos inconformados com algum tipo de crítica recebida).

O tempo foi passando, e a nossa vida, mudando. Sair para mastigar deixou de ser a nossa principal atividade de lazer. Além disso, as despesas para bancar as aventuras gastronômicas começaram a pesar mais no orçamento familiar. Mudanças na rotina profissional passaram a reduzir o tempo livre (que já era pequeno). O desejo de mudar alguns aspectos da nossa alimentação passou a restringir os Estabelecimentos em que estávamos dispostos a ir. A vontade de simplesmente não nos preocuparmos em anotar as informações do cardápio e fotografar os Pratos começou a surgir. E o cansaço com a "obrigação" de "sempre" postar algo novo, mantendo o "cronograma de publicações", sem descanso, apareceu. Num determinado momento, entendemos que o enorme prazer em manter o blog tinha dado lugar ao esgotamento e o esforço para manter tudo em funcionamento já não se justificava mais.

Por isso, há alguns meses tomamos a decisão de não mais atualizar o blog. Ele permanecerá no ar, por tempo indefinido, disponível para consulta (até porque - surpreendentemente - ainda temos uma boa visitação mesmo sem conteúdo novo), assim como a nossa página no Facebook. No entanto, optamos por, ao menos por enquanto, manter ativo o nosso perfil no Instagram (que tem sido o canal mais interessante de interação com os leitores), mas sem grandes preocupações com a frequência e variedade das publicações. 

De qualquer forma, queremos agradecer a todos os nossos leitores que contribuíram para que o Mastigando em Salvador tivesse alcançado o sucesso que alcançou e queremos dizer que encerramos as nossas atividades com a certeza de que fizemos o melhor trabalho possível, com profissionalismo, dedicação, disciplina, imparcialidade e, sobretudo, muita paixão!

Um grande abraço dos Mastigadores!

Catarine Heiter e Gustavo Romero

22 de out de 2015

Chef Vitor Pires [ch & gr]

| por Catarine Heiter e Gustavo Romero |

O jovem chef Vitor Pires é natural do Algarve (Portugal) e desembarcou em terras baianas trazendo consigo as mais deliciosas receitas da sua terra natal! Ele presta o serviço de Personal Chef e também comercializa alguns Doces típicos portugueses. Nós fomos convidados por ele e por sua esposa para conhecer o seu trabalho!


Se você gosta de fazer pequenos eventos ou reuniões de amigos em casa e ainda não conhece o serviço de Personal Chef, não sabe o que está perdendo! O conceito é, basicamente, contar com a presença de um chef em sua casa, que irá preparar um menu previamente acordado e servir os seus convidados! Tudo se inicia com uma entrevista e com a avaliação da estrutura da cozinha do cliente. Em seguida, o menu é definido. No dia combinado, o chef, já de posse dos ingredientes, vai até a casa do cliente, prepara a refeição, serve e, ao final, deixa a cozinha do jeito que encontrou! Cômodo e elegante!

Para conhecer o trabalho do chef Vitor Pires, estivemos em sua residência e o menu foi escolhido a dedo pelo próprio chef, com pratos típicos de seu país.

A Entrada foi uma porção de Bacalhau com Natas, acompanhado de uma pequena Salada de Rúcula, Tomate Cereja e Balsâmico. Ao lembrar do Prato é impossível não recordar a textura, tão logo pensamos no sabor. Logo após a primeira garfada fica a sensação de que nunca mastigamos nada parecido antes. É cremoso, é suave, é delicado, é autêntico! E, com certeza, surpreende até mesmo quem já é fã de Bacalhau.

O Bacalhau com Natas e Salada preparado pelo Chef Vitor Pires
Em seguida, o Prato Principal: a Cataplana à Algarvia (feita com Polvo, Camarão e Mexilhão). Para quem, assim como nós, não sabe, a Cataplana é (segundo o chef e a Wikipédia) "um recipiente para cozinhar alimentos típico do Algarve. Também se usa o mesmo termo para designar os alimentos confeccionados nesse recipiente".

A Cataplana do Chef Vitor Pires
O Prato chega à mesa e aguça a curiosidade não apenas por ser um desconhecido para nós. O visual do recipiente chama a atenção logo no início, já que seu formato lembra - perdoem a comparação esdrúxula - o de um disco voador. Aberta a tampa, o interesse se mantém quando avistamos um colorido protagonizado pelos Pimentões. Por fim, o aroma denuncia o que o sabor confirma: é realmente muito bom! Perfeito para mastigar com um Pãozinho e se deliciar com o Caldo! Aquele gostinho de comida caseira, capricho no preparo, comida de verdade: este é o resumo da obra. Um Prato para se aventurar de coração aberto e com a certeza de que tudo acabará bem no final!

A Cataplana a Algarvia preparada pelo Chef Vitor Pires
A Cataplana a Algarvia preparada pelo Chef Vitor Pires
Mas não pense que acabou! Um jantar que se preze tem que ter a Sobremesa! Neste caso, a eleita pelo chef foi o Duo de Doces portugueses, composto por um Mini Pastel de Belém e um Mini Pastel de Amêndoa Portuguesa. Como acompanhamento, o exótico Sorvete de Azeite Doce!

O Duo de Doces Portugueses (Pastel de Belém e Pastel de Amêndoa Portuguesa) com Sorvete de Azeite Doce preparados pelo Chef Vitor Pires
Comecemos pelo Sorvete: uma criação inusitada do chef, que nos surpreendeu bastante! Em um primeiro momento, não conseguimos identificar o sabor, mas foi impossível não perceber que o paladar acusava algum nível de reconhecimento sobre o ingrediente principal! Definitivamente, uma criação brilhante! É exótico e extremamente saboroso.

O Pastel de Belém, feito com Massa Folhada, apresentou textura bem leve e sabor equilibrado. Nós, que só tínhamos provados alguns produzidos por algumas lojas e confeitarias da nossa região, não temos dúvidas: este é muito superior! Por sua vez, o Pastel de Amêndoa Portuguesa é menos doce, mas igualmente saboroso. Ambos os Pastéis são aquele tipo de Sobremesa que derrete na boca e deixa o desejo de mais uma mastigada! O resultado final foi uma Sobremesa muito bem executada, mesclando tradição e novidade! Visualmente encantadora, fechou o jantar com aquela sensação de maestria!

Findo o jantar, saímos muito satisfeitos da casa do chef Vitor Pires. Além do talento na cozinha, o chef (assim como sua esposa) se mostrou uma pessoa extremamente agradável e educada. Mais um bom diferencial para alguém que pretende ir até a casa dos clientes para prestar um serviço tão pessoal!

E se você se animou com os Pastéis, o chef os comercializa sob encomenda. Uma excelente opção para sua festa ou reunião de amigos!

Os Mastigadores estiveram na residência do chef Vitor Pires a convite para a elaboração deste post.

Chef Vitor Pires
(71) 9988-6214
http://www.facebook.com/chefvitorpires
http://instagram.com/chefvitorpires

10 de set de 2015

Rock & Ribs Steakhouse [gr]

| por Gustavo Romero |

Depois que os shoppings da cidade passaram a cobrar pela utilização do estacionamento, nós reduzimos drasticamente as nossas visitas aos centros de compras. Entretanto, em algumas ocasiões, é inevitável termos que ir até um deles e, em situações como estas, nós acabamos mastigando por lá mesmo.

A nossa primeira experiência com o Rock & Ribs Steakhouse aconteceu logo que a casa foi inaugurada, e foi bastante negativa: fomos muito mal atendidos e acabamos procurando outro lugar para mastigar. Meses depois, resolvemos dar outra chance, e agora contamos o que achamos!


A decoração do restaurante é toda baseada em elementos da cultura rocker, com guitarras, pratos de baterias e pôsteres de estrelas do rock pendurados nas paredes. O atendimento melhorou em relação ao que experimentamos na visita frustrada que fizemos.

O local segue a mesma lógica da maioria dos estabelecimentos situados em praças de alimentação: o cliente faz a sua escolha, efetua o pagamento e aguarda ser chamado. O Rock & Ribs resolveu abrir mão do incômodo letreiro de senhas e entrega ao cliente um dispositivo portátil que indica quando o pedido está pronto.

O cardápio é um tanto eclético, oferecendo Petiscos, Carnes diversas, Massas, Saladas e Sanduíches. Na primeira visita com sucesso que fizemos ao local, apenas eu mastiguei, e o Prato escolhido foi a especialidade da casa: o Rock Original Barbecue Ribs (R$ 31,90), que nada mais é que a Costela suína regada ao Molho Barbecue. O grande apelo do Prato é o fato de a Costela ser assada num processo que dura mais de 3 horas, fazendo com que a Carne fique macia, desmanche na boca e solte facilmente os ossos. O cliente deve, além de escolher o ponto da Carne, definir 3 acompanhamentos ao Prato. As minhas escolhas foram Arroz com Brócolis, Batatas Fritas e Salada.

O Rock Original Barbecue Ribs do Rock & Ribs Steakhouse
Pode-se dizer que a propaganda do Prato feita no cardápio "aumenta mas não inventa". De fato, a Costela é muito saborosa e macia, mas não chega a arrancar suspiros. Em outras palavras, é boa. Os acompanhamentos também não fazem feio, e cumprem bem o seu papel.

Em outra ocasião, resolvemos mastigar alguns dos Sanduíches da casa. Os escolhidos foram o Rock Cheese Burger (Hamburguer de Carne bovina grelhado, com Mussarela - R$ 17,90, no tamanho pequeno) e o Rock Ribs Special Burger (Hambúrguer de Carne bovina grelhado, coberto com Costelinha desfiada, Cebola, Alface americana, Tomate e Molho de Maionese BBQ - R$ 20,90, no tamanho pequeno).

O Rock Cheeseburger do Rock & Ribs Steakhouse
O Rock Ribs Special Burger do Rock & Ribs Steakhouse
Os valores cobrados pelos Sanduíches já incluem uma porção de Batatas Fritas ou Onion Rings. No entanto, é possível perceber, pela foto, a diferença que existe nas porções servidas destes acompanhamentos! Soma-se a isso, o sabor mediano das Onion Rings e resta apenas escolher Batatas Fritas mesmo! O Sanduíche também não chega bonito à mesa. O sabor da Carne não decepciona, mas também não surpreende. Um pouco mais do mesmo em um local onde já temos outras opções deste tipo de prato.

Após duas visitas de fato, o nosso balanço é neutro em relação ao Rock & Ribs Steakhouse. A especialidade da casa é boa, mas não é imperdível. Os Sanduíches também não passam de bons. E os preços tendem a ser mais salgados do que deveriam, quando se analisa o sabor dos Pratos. Em última análise, é mais um local para se fazer uma visita e matar a curiosidade, apenas.

Rock & Ribs Steakhouse
Salvador Shopping
Praça de Alimentação

3 de set de 2015

Bella Gourmet Bistrot [gr]

| por Gustavo Romero |

Depois de recebermos a indicação de alguns amigos, que elogiaram bastante a casa, resolvemos fazer uma visita ao Bella Gourmet Bistrot. Confira agora o que achamos do local!

Localização e estacionamento

O restaurante funciona na mesma rua em que está localizado o nosso querido Di Lucca, no bairro da Pituba. Não é a nossa localização predileta, especialmente se a idéia for ir ao local no período noturno, mas, ao mesmo tempo, o acesso é bastante simples.

A fachada do Bella Gourmet Bistrot
A rua é um tanto carente de espaços para estacionar. Nesta visita, fizemos questão de chegar bem cedo (alguns minutos antes do meio-dia) e não passamos por esta dificuldade, nem fomos abordados por flanelinhas.

Ambiente e atendimento

O restaurante é uma graça! As paredes são a principal atração: repletas de quadros, enfeites temáticos e bibelôs, entretêm o cliente e ainda contam com uma televisão com programação musical e alguns espelhos que ajudam a dar amplitude ao pequeno salão. As mesas são bem decoradas e a iluminação fraca torna o ambiente bem agradável mesmo a luz do dia. No geral, parece uma casinha de bonecas de muito bom gosto!

O ambiente do Bella Gourmet Bistrot
O ambiente do Bella Gourmet Bistrot
Por sua vez, o atendimento foi discreto e eficiente, mas os nossos pedidos demoraram bastante a serem entregues. Como chegamos logo que o restaurante abriu, fomos a segunda mesa a ser atendida. A primeira mesa, com apenas um cliente, recebeu logo o pedido, mas nós esperamos algo em torno de 35 minutos pelos Pratos. Tirando este ocorrido, não temos mais nenhuma reclamação a fazer.

Comida

No cardápio, opções de Entradas, Saladas, Massas, Carnes, Frutos do Mar e Risotos, dentre outras. Todas as descrições dos Pratos dão água na boca! Nós optamos por um representante dos Frutos do Mar e por um Risoto.

Assim, o nosso primeiro Prato foi um Salmão a José Barreto, acompanhado de Arroz de Shimeji e Shitake e Salada. Só temos elogios: bela apresentação e sabor excelente! O Salmão estava com ótimo ponto e consistência; o Arroz, muito saboroso e com sabor evidente dos Cogumelos. Por fim, a Salada funcionou muito bem como acompanhamento ao Prato.

O Salmão a José Barreto do Bella Gourmet Bistrot
Em seguida, o Risoto Vegetariano Marta Ianner: O Prato chega à mesa em uma porção bastante adequada (a louça engana e sugere o contrário!), com textura impecável e sabor que agrada até quem torce o nariz para a ausência de 'carne'. É evidente a qualidade dos ingredientes utilizados e as nuances de sabor de cada vegetal presente no prato. Destaque para o cheiro verde que enche a refeição de aroma e personalidade! Recomendamos aproveitar o parmesão ralado sem cerimônia, ele é servido a parte e a combinação fica perfeita!

O Risoto Vegetariano Marta Ianner do Bella Gourmet Bistrot
Para encerrar o almoço, escolhemos uma Sobremesa: a Torta Búlgara. Não foi uma escolha feliz. Não que o Doce não estivesse saboroso, mas a sua textura passou bem longe das Búlgaras a que estamos acostumados e tanto apreciamos. Ademais, a fatia servida estava incrivelmente pequena, contrastando com o padrão dos itens que recebemos anteriormente. Não repetiríamos.

A Torta Búlgara do Bella Gourmet Bistrot
Preço

Para nós, a grande desvantagem do Bella Gourmet são os preços, muito altos para a nossa realidade. Isso ficou mais evidente no caso do Risoto Vegetariano, no qual está claro que o Prato é feito com ingredientes de custo mais baixo e que, sem desconsiderar toda a maestria do preparo, consideramos acima da média de valores. Vamos a eles: o Salmão custou R$ 58,00, o Risoto, R$ 46,00 e a Torta Búlgara, R$ 17,00. A conta totalizou R$ 133,10, e não chegamos sequer a beber um refrigerante.

Conclusão

Sem dúvidas, o Bella Gourmet é um restaurante charmoso e oferece uma excelente experiência gastronômica, com cardápio refinado e Pratos muito saborosos. Por outro lado, os preços, ao menos para nós, acabam inviabilizando visitas mais frequentes, o que é uma grande pena!

Serviço

Bella Gourmet Bistrot
Rua Minas Gerais, 784 - Pituba (ver mapa)
(71) 3345-2598 / 3021-1435
http://www.facebook.com/bellabistrot

27 de ago de 2015

Juarez Restaurante [gr]

| por Gustavo Romero |

Eu trabalho num município vizinho a Salvador e, por esta razão, tenho raríssimas oportunidades de almoçar na cidade. Foi quando, em um determinado dia, tive a chance de reencontrar um bom e velho amigo que trabalha no bairro Comércio, e que me convidou para conhecer o famoso e tradicional Juarez Restaurante!


Assim que chegamos ao restaurante, no Mercado do Ouro, não tivemos grande dificuldade para estacionar, numa área de zona azul. 

A fachada do Juarez Restaurante
O estabelecimento é pequeno e bastante despojado, com instalações que lembram as do Porto do Moreira: tudo muito rústico e antigo. Afinal, o Juarez funciona há mais de 60 anos! O atendimento foi relativamente bom. O garçom procurou ser atencioso e não houve demora para receber os Pratos e a conta.

O ambiente do Juarez Restaurante
O cardápio fica pendurado na parede, e as opções estão dentro daquilo que costumamos chamar de "cozinha brasileira", com Galinha ao Molho Pardo, Carne do Sol, Peixe Frito, dentre outras. 

O cardápio do Juarez Restaurante
Mas a estrela da casa é, sem dúvida, o Filé do Juarez (o cardápio chama de Filé a Juarez, mas todo mundo chama pelo outro nome), que o restaurante afirma ser "O melhor Filé da Bahia". Não tivemos dúvidas e pedimos 2 deles!

Inicialmente, o restaurante serve uma espécie de Entrada, uma Salada feita com Batata, Cenoura, Tomate e Cebola. É uma Entrada, digamos, acanhada, mas serve para abrir o apetite.

A Salada de Entrada do Juarez Restaurante
Pouco tempo depois, chegam à nossa mesa 2 representantes d'O melhor filé da Bahia. Mas, o que tem de tão especial neste Filé? Basicamente, ele é feito de tal forma que a parte externa do Filé fica bastante escura e um pouco crocante (um Filé ao ponto), mas a parte interna fica bastante avermelhada e molhada (Filé mal passado). O preparo é feito numa frigideira, com boa quantidade de Cebolas cozidas no Vinho. O resultado é muito interessante: O Filé é realmente muito saboroso, e a carne estava bastante macia. Em resumo: não conheço todos os Filés da Bahia, mas o Filé do Juarez é realmente delicioso!

O Filé do Juarez do Juarez Restaurante
O Filé do Juarez do Juarez Restaurante
Os acompanhamentos são Arroz, Feijão e Farinha. Seguindo a linha da Entrada, são acompanhamentos simples e que não arrancam muitos suspiros, mas cumprem bem a sua função, de "acompanhar".

Os acompanhamentos do Juarez Restaurante
Para encerrar, pedimos uma Sobremesa, o Pavê de Chocolate. Bom, nada mais.

O Pavê de Chocolate do Juarez Restaurante
O preço do Filé assusta um pouco: R$ 50,00 cada. Achamos caro, apesar da fama do Prato. É um preço mais adequado a um restaurante mais sofisticado e mais bem arrumado. O Pavê saiu por R$ 9,00 e a Jarra de Suco de Laranja custou R$ 10,00. 

Almoço encerrado! Finalmente conheci o Juarez Restaurante e, claro, aprovei o Filé que leva o nome da casa. Os demais itens mastigados ficaram apenas dentro da média. No geral, valeu mais como curiosidade do que qualquer outra coisa. O melhor mesmo foi botar o papo em dia com o amigo!

Juarez Restaurante
Av. Jequitaia, 804 (ver mapa)
Mercado do Ouro - Comércio
(71) 9922-3378
http://www.facebook.com/filedojuarez

20 de ago de 2015

Ristorante La Cucina [gr]

| por Gustavo Romero |

Quem acompanha o cenário gastronômico de Salvador no mínimo já ouviu falar do Ristorante La Cucina e da sua fama de ter comida saborosa e preços baixos. O restaurante é sempre elogiado por quem já mastigou por lá; parece ser uma unanimidade entre os frequentadores, mas, como nós costumamos desconfiar de unanimidades, fomos ao local conferir!


O restaurante está em seu segundo endereço. Saiu da Av. Djalma Dutra para um local maior e mais confortável, no Jardim Bahiano (veja o link pra a localização no mapa no final da resenha). A rua é tranquila e com abundância de locais para estacionar. Destacamos a presença de um segurança contratado pela casa, que orienta os clientes no momento do estacionamento. Muito atencioso.

A fachada do Ristorante La Cucina
As mesas estão dispostas tanto na parte interna (e climatizada) quanto na externa. Embora estivesse fazendo sol e calor no dia da nossa visita, optamos pela parte externa e não nos arrependemos. O local é arejado e as árvores, junto dos sombreiros, dão conta de amenizar a incidência do sol. Tudo bastante rústico e despojado.

O ambiente do Ristorante La Cucina
O ambiente do Ristorante La Cucina
O ambiente do Ristorante La Cucina
O ambiente do Ristorante La Cucina
O atendimento foi bastante adequado e ágil. Essa era a nossa maior preocupação: ao mesmo tempo em que todos elogiam a qualidade da comida, é comum as pessoas dizerem que esperaram, literalmente, horas pelos Pratos. Admitimos que este foi um dos principais fatores que nos levaram a demorar tanto a ir conhecer o local (a paciência não é uma das minhas virtudes, de modo que eu sempre evito ir a locais em que sei que terei que esperar). Para evitar este problema, decidimos chegar ao restaurante assim que ele abrisse. A estratégia deu certo e os Pratos chegaram à nossa mesa em muito pouco tempo.

Comandado pelo chef Marcelo Gomes, com passagens por restaurantes como Veleiro (Yatch Clube da Bahia), Trapiche Adelaide, Porto Gourmet (atualmente, 496 Grill & Bar), Soho e Bistrô Du Vin, o La Cucina oferece um cardápio enxuto mas muito interessante. Baseado na culinária Mediterrânea, é possível encontrar Pratos bem elaborados, feitos com ingredientes finos e deliciosos. 

Assim, iniciamos o nosso almoço com uma Entrada: a Bruschetta de Salmão Marinado. Com ótima apresentação e quantidade adequada, estava muito saborosa. Talvez a única ressalva, para o nosso paladar, é que preferiríamos que o Pão fosse mais macio (estava bem crocante, quase com a textura de uma Torrada), mas, o Salmão estava delicioso e muito bem temperado. Começamos bem!

A Bruschetta de Salmão Marinado do Ristorante La Cucina
Em seguida foi a vez dos Pratos Quentes. O primeiro deles foi o Risotto de Camarão com Arroz Negro e Cogumelos. Não se deixe enganar pela foto: o sombreiro que estava acima da nossa mesa era vermelho e interferiu na cor do Prato registrado na foto. O fato é que o Prato estava muito bem apresentado e o tamanho da porção estava ideal. Quanto ao sabor, só temos elogios. O Arroz Negro estava fantástico, os Camarões estavam muito macios e grandes e os Cogumelos, com sabor discreto, como deveriam ser. Sensacional!

O Risotto de Camarão com Arroz Negro e Cogumelos do Ristorante La Cucina
O segundo Prato escolhido foi o Penne com Camarões ao Molho de Mostarda, Damasco e Abacaxi. Visualmente ele não faz jus à experiência olfativa proporcionada quando chega à mesa! Incrivelmente aromático e, ao paladar, definindo o perfeito conceito de equilíbrio, neste caso aplicada à presença concomitante do doce e do salgado. A porção também agradou muito, assim como à qualidade dos ingredientes. Opção refrescante e perfeita para quem curte o estilo!

O Penne com Camarões ao Molho de Mostarda, Damasco e Abacaxi do Ristorante La Cucina
Para encerrar, escolhemos uma Sobremesa: a Cheesecake com Calda de Goiaba. Mantendo o excelente padrão da casa, A Cheesecake estava ótima, tanto na apresentação, quanto no sabor e consistência. Na parte de cima existia uma "casquinha", que lembrou um Brûlée, e deu um toque todo especial. A Calda de Goiaba estava igualmente saborosa: suave e não muito doce. Uma Sobremesa à altura do banquete que se tornou esse nosso almoço!

A Cheesecake com Calda de Goiaba do Ristorante La Cucina
E quanto custou este banquete? Bem, vejamos: R$ 8,00 pela Bruschetta, R$ 36,00 pelo Risotto, R$ 31,00 pelo Penne e R$ 9,00 pela Cheesecake. Somando-se um refrigerante e a taxa de serviço, desembolsamos menos de R$ 100,00. Uma pechincha, convenhamos.

O balanço desta aventura gastronômica não poderia ser melhor. Tudo o que sempre ouvimos falar de bom sobre o local também nos agradou. Todos os pontos de melhoria citados por quem havia visitado parecem ter sido resolvidos. Esta, sem dúvida, foi uma experiência agradabilíssima que merece ser repetida mais e mais vezes!

Ristorante La Cucina
Rua Boulevard América, 755 (ver mapa)
Jardim Bahiano
(71) 9606-4571 / 8687-4350
http://www.facebook.com/pages/La-Cucina-Alimentos/379527262191041
http://instagram.com/lacucinaalimentos/

13 de ago de 2015

All Saints Mediterrâneo [gr]

| por Gustavo Romero |

O All Saints Mediterrâneo é um restaurante que costumamos recomendar quando alguém pede uma sugestão de comida boa, preços realistas e bom atendimento. Por esta razão, o local foi o escolhido para o almoço do dia dos pais deste ano. Até porque a nossa última visita tinha ocorrido há muito tempo, então esta era uma ótima oportunidade de mastigar novamente por lá!


Fica localizado em Vilas do Atlântico, numa região de fácil acesso (no final da resenha nós colocamos um link para a localização no mapa). Não confundir com o All Saints Contemporâneo, do mesmo grupo, mais novo e sofisticado, situado também em Vilas, mas um pouco distante do Mediterrâneo. Em frente ao restaurante existem algumas poucas vagas de estacionamento, e nas ruas próximas não é difícil parar o carro.

A fachada do All Saints Mediterrâneo
O restaurante funciona num amplo salão de uma casa. O local é rústico, com poucos elementos de decoração. Esta foi a primeira vez que estivemos no local durante o dia, e notamos que a falta de climatização, mesmo atenuada pela presença de ventiladores, fez com que o ambiente estivesse um pouco quente.

O ambiente do All Saints Mediterrâneo
O ambiente do All Saints Mediterrâneo
O ambiente do All Saints Mediterrâneo
O atendimento, que sempre foi um dos pontos fortes da casa, estava apenas bom. Embora fosse dia dos pais, o restaurante não estava lotado, mas os garçons demoraram um pouco para atender as nossas demandas em diversos momentos do almoço. Nada que tenha comprometido a experiência.

Uma das motivações para a escolha do All Saints foi o desejo de mastigarmos Frutos do Mar. E assim fizemos! Primeiro, uma Entrada: o Carpaccio de Salmão com Rúcula ao Molho Pesto (R$ 24,00). Uma Entrada bem servida e muito saborosa! O Salmão estava ótimo e o Molho Pesto, excelente! E até eu, que não aprecio Rúcula, a achei saborosa. Entrada aprovada! 

O Carpaccio de Salmão do All Saints Mediterrâneo
Para os Pratos Quentes, como estávamos em três pessoas, as escolhas foram um Risoto de Frutos do Mar (R$ 32,90) e um Bacalhau Gomes de Sá (R$ 66,90), um Prato dimensionado para duas pessoas.

O Risoto estava ótimo. A porção poderia ser mais bem servida, mas tanto a aparência quanto o sabor agradaram muito. O Arroz estava no ponto certo e os Frutos do Mar, em boa quantidade, estavam muito bem preparados. Agradou bastante!

O Risoto de Frutos do Mar do All Saints Mediterrâneo
Por sua vez, o Bacalhau decepcionou um pouco. Não que estivesse ruim, pelo contrário, mas ele não foi capaz de atingir as expectativas criadas, já que esta não foi a primeira vez que mastigamos o Prato. O tamanho da porção estava, de fato, adequado para duas pessoas e o Bacalhau não estava muito salgado e nem apresentou espinhas, mas, para o meu paladar, poderia estar com um sabor mais evidente (é como se estivesse com pouco tempero). Como agravante, o Prato não estava muito quente e eu não morro de amores por uma refeição servida à temperatura ambiente. O mais saboroso do Prato foram as Batatas. Além disso, o Arroz (R$ 3,00) deve ser pedido à parte. Pelo preço, poderia estar incluído no Prato principal.

O Bacalhau Gomes de Sá do All Saints Mediterrâneo
Findo o almoço, optamos por não pedir Sobremesas, até porque o homenageado do dia não é fã de doces e a sua esposa está sempre de dieta... :). A conta totalizou pouco menos de R$ 150,00. 

Saímos do All Saints Mediterrâneo satisfeitos mas não encantados, como era a expectativa. A sensação foi a de que o restaurante "já foi melhor", e fica a dúvida se isso não é fruto de um possível deslocamento das atenções para o All Saints Contemporâneo, que é mais badalado e caro. De qualquer forma, o local ainda será recomendado por nós, mas não mais "de olhos fechados".

All Saints Mediterrâneo
Av. Praia de Itapua, Qd.19 - Lt.03 (ver mapa)
Vilas do Atlântico - Lauro de Freitas
(71) 3369-5343
http://www.allsaintsrestaurantes.com
http://facebook.com/AllSaintsRestaurantes

6 de ago de 2015

Kiberia [ch]

| por Catarine Heiter |

Um dos locais que estavam em nossa lista de pendências para visita era a Kiberia. Desde que a loja foi inaugurada na praça de alimentação do Ceasinha, ficamos bem animados para conhecer! No entanto, como não é um local que frequentamos muito, a visita sempre foi adiada por um motivo ou por outro.

 
No último mês riscamos essa pendência da nossa lista, mas foi por pouco! Se tivéssemos deixado para chegar na loja um pouco depois das 11h30 corríamos o risco de ficar sem ter onde sentar, pois o local é muito procurado nos finais de semana e lotou em poucos minutos depois que chegamos!

A fachada da Kiberia na Ceasinha do Rio Vermelho
A primeira surpresa foi encontrar um menu executivo com pratos típicos árabes. Tínhamos imaginado que sentaríamos mais para lanchar do que para almoçar de fato. E, como nosso apetite não era pouco, essa opção foi um diferencial e tanto!

No balcão o atendimento foi básico e atendeu às expectativas. Escolhemos tudo diretamente pelo cardápio, mas as atendentes estão disponíveis para apresentar os Pratos e explicar melhor a composição deles. A vitrine deixa à vista os lanchinhos que nós sabíamos que iríamos encontrar: Doces e Salgados árabes aguçam o apetite até mesmo de quem está lá só para dar uma voltinha. Ainda na loja, é possível adquirir os Molhos que eles servem à mesa juntamente com os Pratos. Não são Molhos artesanais, importante ressaltar!

Para o menu executivo o cliente pode escolher entre duas opções de cada porção, sendo que o Prato é formado por três porções: uma Salada (Salada Verde ou Tabule), uma Proteína (Kibe de Forno ou 4 Charutinhos) e um Acompanhamento (Arroz com Lentilha ou Arroz com Aletria). Nós escolhemos as primeiras opções indicadas nos parênteses.

O menu executivo da Kiberia
As porções chegam à mesa separadas e aparentaram não dar conta do nosso apetite. Mas enganam. É bastante comida para uma pessoa só, até mesmo por conter ingredientes que garantem saciedade. Nossa crítica vai para a ausência de um prato auxiliar, que permita ao cliente se servir das porções de forma mais independente, já que a Proteína ocupa um espaço enorme no pratinho pequeno onde é servida. Fora isso, não há nada a reclamar. O sabor estava divino e, até mesmo uma simples Salada, ganhou um toque todo especial com as nozes e os molhos servidos!

A Salada Verde do menu executivo da Kiberia
O Kibe de Forno do menu executivo da Kiberia
O Arroz com Lentilha do menu executivo da Kiberia
É claro que também mastigamos os Salgados, afinal de contas, fomos lá por causa deles! São vendidos em dois tamanhos (Lanche e Coquetel) e nós optamos por uma Esfiha do tamanho maior e um Kibe do tamanho menor.

A Esfiha e o Kibe da Kiberia
Escolhemos a Esfiha de Ricota com Espinafre, que também leva Nozes na composição e tem um sabor bem levinho. O Espinafre quase não se nota no paladar. O tamanho Lanche é bem maior que o Coquetel, mas ainda assim não é nada muito grande. Compensa porque vem bastante recheio, mas pode deixar os mais esfomeados ainda com fome. O Kibe escolhido foi o tradicional, de Carne, na versão Apimentada. Não decepcionou nem em sabor e nem em picância. O objetivo era mastigar a versão com Soja, mas fica para uma próxima!

Pelos menu executivo pagamos R$ 30,00 e pelos dois Salgados, R$ 10,00. Achamos justo o investimento, considerando que estamos falando de uma comida árabe e de uma refeição que atendeu às expectativas em termos de saciedade! Recomendamos sem ressalvas e ficamos devendo resenha sobre às Sobremesas, já que os doces árabes não estão entre os nossos prediletos!

Kiberia
Avenida Juracy Magalhães Júnior, 1624
Ceasinha do Rio Vermelho - Praça de Alimentação
Rio Vermelho
(71) 2137-7826

Tecnologia do Blogger.